segunda-feira, 5 de abril de 2010

Juventude - abaixe outras bandeiras e levante essa

Postagem feita por Bruno Belão*


Estava hoje, sozinho, refletindo sobre a juventude, de como ela se coloca no seu lugar, ou melhor, não se coloca. A juventude de hoje em dia está cada vez mais sobre influência de pessoas que não querem que ela pense, pois cada vez menos está sendo exigido o nosso direito de cidadania, e cada vez mais algumas pessoas que estão no governo conseguem esconder os podres que acontecem, tal como a falta de direito a cidadania dado aos jovens hoje, mas para falar nisso precisa-se saber o que é cidadania:

Segundo o dicionário online da língua portuguesa Priberam:

cidadania
(cidadão + -ia)
s. f.
Qualidade de cidadão.

cidadão
(cidade + -ão)
s. m.
1. Indivíduo no gozo dos
direitos civis e políticos de um estado livre.
2. Habitante de cidade.
Fem.: cidadã ou cidadoa (pejorativo). Pl.: cidadãos.



Ótimo, agora sabendo que cidadania consiste em um individuo que goza dos seus direitos civis e políticos, sabemos que apesar disso existir, não existe por completo. Pois a algum tempo o direito ao ensino político, que era dado na escola para que os alunos soubessem o que se acontecia no país, vem sendo retirado das escolas (onde hoje não conheço nenhuma que ensine política entre o fundamental e ensino médio). Com isso vem sendo retirado o direito do jovem a cidadania, pois não adianta de nada esse jovem ter seus direitos políticos (que se consiste hoje em dia em direito a voto para a maioria dos jovens) se não sabem quais são eles e pra que esses servem.

Para mudarmos isso, temos que lutar arduamente, e dentro desse ponto encontramos outros problemas, o maior deles consiste em levantar a bandeira de um partido político (nada contra isso, pois cada um tem seu próprio livre arbítrio - ou livre-alvedrio - para escolher o partido que bem desejar ou não fazer parte de nenhum deles). O problema que se tem ao se levantar a bandeira de um partido quando trabalhamos com a juventude, é o mesmo que se tem em qualquer outro lugar ou tipo de trabalho, os partidos podem até pensar igual, mas brigam entre si só por causa do “quem vai ficar com o renome que este projeto irá trazer?”.

Eu, entre outras pessoas do estado de São Paulo, acredito que para se conquistar alguma coisa para a juventude devemos nos unir, deixar de lado nossas bandeiras partidárias (somente para lutas com a juventude) e levantar uma nova bandeira, todos juntos e unidos, que é a bandeira da JUVENTUDE, essa que por sua vez ganhará nome, e mudará o aprendizado do jovem cidadão, fazendo com que assim, nós jovens, saibamos nossos direitos políticos, e qual a importância do voto nas eleições, independente de pra qual cargo seja.

E segue uma pergunta para vocês, que após lerem este texto devem estar com muitos pensamentos na cabeça, o que você acha de levantar esta bandeira junto conosco???

AVANTE JUVENTUDE, VAMOS A LUTA POR NOSSOS DIREITOS

*Bruno Belão é membro do Conselho Municipal do Jovem de Sorocaba onde representa a União da Juventude Socialista - UJS -, além de ser representante da União Estadual dos Estudantes - UEE/SP.

4 Comentários:

Frontelle disse...

Em primeiro lugar MUITO obrigado pelo post Bruno, é sempre bom ter contribuições de amigos de caminhada por aqui!
Em segundo, e não menos importante, COMENTEM!(:
Esse é um espaço para reflexão, debates e conclusões.
Concorda, não concorda, essa é a hora de falar ;~]

Bruno Belão disse...

É pessoal, vamos pensar neste texto bonito que eu escrevi (só não sei como XD) e vamos lutar por esta causa maravilhosa que é a JUVENTUDE.

Espero que se tenha muitos comentarios, pois este blog vai ter renome nacional (e qm sabe até internacional XD)

Tamo no aguardo dos comentarios né Luciano

Abraços

kuntz disse...

Uai, "política" era o que OSPB (Organização Social e Política do Brasil) ou Educação Moral e Cívica, disciplinas do antigo Ginásio e Segundo Grau, nos anos da ditadura militar, "ensinava". Com o fim da ditadura, essas disciplinas fugiram do currículo mas foram substituídas por Filosofia e Sociologia, responsáveis atualmente para passar as diretrizes, ideias ou ideologias sobre cidadania, política, pensamento crítico etc. Então, pra dizer que não tem isso na escola, ou nunca assistiu aulas de filosofia e sociologia, ou não teve bons professores e nem uma boa escola. O argumento parece carecer de verdade material. Explica pro Bruno, Luciano.

Bruno Belão disse...

Meu querido amigo (que nao conheço) Kuntz, se vc teve um bom ensino (que com toda certeza NÃO FOI PUBLICO) meus parabens, pois quando disse politica, foi esta mesmo que vc mensionou, e não a da ditadura, se infelizmente você não conseguiu ver isto, perdao, pois pode ser que errei nos argumentos e pareceu isto. Em segundo lugar não conheço escolas que ensinem filosofia e sociologia que sejam publicas, e acredite, conheço diversas escolas em diversas cidades.

E antes de escrever qualquer coisa procuro conhecer no minimo um pouco do assunto, e sempre que escrevo penso no publico alvo das publicas de ensino secundarista e anterior.

Espero ter esclarecido sua duvida e desculpe pela demora na resposta, pois tenho estado sem tempo pra nada com o trabalho que fasso na UEE-SP

Postar um comentário

Total de visualizações de página

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger.

TOPO